17 de julho de 2024
Compartilhe:

Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil

O ministro dos Direitos Humanos, Silvio Almeida, usou suas redes sociais para publicar um longo texto sobre os 60 anos do golpe militar no Brasil, que se completa neste domingo (31).

A partir da pergunta “Por que ditadura nunca mais”, Silvio Almeida elenca uma série de motivos e razões para que o Brasil nunca mais volte a viver em estado de exceção e sob um regime militar.

“Por que ditadura nunca mais? Porque queremos um país social e economicamente desenvolvido, e não um ‘Brasil interrompido’. Porque queremos um país soberano, que não se curve a interesses opostos aos do povo brasileiro”, inicia Silvio Almeida.

Em seguida, Silvio Almeida responde à sua própria pergunta inicial: “Porque queremos um país institucional e culturalmente democrático. Porque queremos um país em que a verdade e a justiça prevaleçam sobre a mentira e a violência. Porque queremos um país livre da tortura e do autoritarismo. Porque queremos um país sem milícias e grupos de extermínio”, afirma.

Posteriormente, o ministro dos Direitos Humanos do governo Lula (PT) lembra de um texto de sua autoria, publicado em 2022, onde recorda que foi preciso odiar a escravidão “e seus institutos para que ela pudesse ter fim”.

E neste domingo, em que também reafirmamos nosso compromisso com as políticas de memória e verdade, lembro de um texto que escrevi em 2022: ‘[…] foi preciso odiar a escravidão e seus institutos para que ela pudesse ter fim; foi preciso odiar os nazistas e seus símbolos para derrotá-los. É imperioso odiar o fascismo e todos que o celebram. É imprescindível repudiar visceralmente e com todas as forças aqueles que humilham e destroem a vida de trabalhadores e de minorias’”.

Por fim, Silvio Almeida rememora uma clássica afirmativa de Ulisses Guimarães sobre a ditadura: “É preciso ter ódio e nojo da ditadura”, concluiu o ministro.

Confira a íntegra do texto abaixo:

“Por que ditadura nunca mais? 

Porque queremos um país social e economicamente desenvolvido, e não um “Brasil interrompido”

Porque queremos um país soberano, que não se curve a interesses opostos aos do povo brasileiro 

Porque queremos um país institucional e culturalmente democrático

Porque queremos um país em que a verdade e a justiça prevaleçam sobre a mentira e a violência

Porque queremos um país livre da tortura e do autoritarismo

Porque queremos um país sem milícias e grupos de extermínio 

E neste domingo, em que também reafirmamos nosso compromisso com as políticas de memória e verdade, lembro de um texto que escrevi em 2022:

“[…], foi preciso odiar a escravidão e seus institutos para que ela pudesse ter fim; foi preciso odiar os nazistas e seus símbolos para derrotá-los. É imperioso odiar o fascismo e todos que o celebram. É imprescindível repudiar visceralmente e com todas as forças aqueles que humilham e destroem a vida de trabalhadores e de minorias” 

É preciso ter ódio e nojo da ditadura, como disse Ulisses Guimarães 

Feliz Páscoa e Viva a democracia!”

Fonte: https://revistaforum.com.br/politica/2024/3/31/silvio-almeida-queremos-um-pais-livre-da-tortura-do-autoritarismo-156504.html