18 de julho de 2024
Compartilhe:

O papel da coesão partidária na eficácia das instituições democráticas é inegável. Quando um membro desvia-se dos princípios estabelecidos por sua agremiação, medidas devem ser tomadas para preservar a integridade do partido.

No caso do deputado estadual Carlos Lula, filiado ao Partido Socialista Brasileiro (PSB), sua decisão de votar contra a orientação do partido na escolha do novo conselheiro do Tribunal de Contas do Estado do Maranhão (TCE-MA) e lançar uma candidatura própria à vaga constitui uma clara afronta às diretrizes e ao código de ética do PSB.

Em março de 2024, foi formalizado um pedido de abertura de processo para investigar a violação dos deveres partidários por parte do deputado Carlos Lula.

Esse pedido foi fundamentado na necessidade de preservar a coesão e a disciplina interna do partido, garantindo que seus membros atuem em consonância com os princípios estabelecidos.

No entanto, até o momento, o partido não emitiu qualquer resposta ou tomou medidas concretas em relação ao pedido de instauração do processo.

Essa inação por parte da legenda suscita questionamentos sobre sua capacidade de zelar pela integridade de suas fileiras e de assegurar o cumprimento de seus próprios preceitos éticos e políticos.

É crucial que o PSB se posicione de forma clara e assertiva diante dessa situação. A omissão poderá minar a credibilidade da agremiação e comprometer sua capacidade de exercer um papel relevante na arena política.

Fonte: https://oimparcial.com.br/noticias/2024/04/psb-ignora-pedido-de-investigacao-contra-deputado-carlos-lula/