18 de julho de 2024
Compartilhe:

A Bancada Feminina do Senado Federal propôs hoje (8) um voto de repúdio contra o ex-governador do Ceará Ciro Gomes (PDT) que em entrevista na semana passada se referiu à senadora Janaína Farias enquanto “assessora de assuntos de cama”.

O documento assinado por 14 senadoras que compõem a ala feminina da Casa Legislativa será entregue hoje ao presidente Rodrigo Pacheco (PSD). Nele, as parlamentares afirmam que Ciro utilizou uma “linguagem machista, preconceituosa e violenta” contra a representante do Partido dos Trabalhadores (PT).

“A referida conduta viola os princípios de respeito e dignidade que devem nortear as relações humanas e profissionais, além de representar uma evidente forma de violência política de gênero. Esses ataques são repulsivos e completamente inaceitáveis, evidenciando uma atitude pessoal de desvalorização das mulheres e uma preocupante resistência à participação feminina em espaços de poder e tomada de decisões”, diz um trecho do documento.

A bancada também expressa solidariedade a Janaína Farias, vítima de misoginia por parte do ex-governador. Durante uma entrevista à rede “A Notícia do Ceará”, Ciro questionou a capacidade da parlamentar petista para ocupar um assento no Senado:

“Quem está assumindo o Senado Federal hoje? Sabe qual é a trajetória para suceder a Virgílio Távora, Tasso Jereissati, Mauro Benevides ou Patrícia Saboya, que tinha uma extensa história de políticas sociais, pioneira na política de creches? Aí vai agora a assessora para assuntos de cama do Camilo Santana para o Senado da República? Em que ponto estamos?” disse o ex-governador.

Ao tomar conhecimento da fala, o presidente estadual do PT, Antônio Alves Filho, emitiu uma nota classificando como machista o depoimento.

“Repugnantes e inaceitáveis os ataques proferidos pelo senhor Ciro Gomes contra a senadora Janaína Farias (PT), em entrevista a um veículo de comunicação cearense. Isso demonstra claramente a dificuldade do senhor Ciro em aceitar mulheres no poder e a sua falta de compromisso com uma sociedade que demanda cada vez mais representação, voz e vez para as mulheres”, diz trecho do posicionamento petista.

A afirmação de que Ciro teria dificuldade em aceitar mulheres no poder não foi vista com bons olhos pelo PDT que, neste sábado, emitiu uma nota afirmando que seu filiado teve governou o Ceará com o maior número de mulheres no primeiro escalão. O partido também aproveitou para alfinetar o PT sobre as eleições municipais.

“O grupo petista também silencia sobre a violência e o massacre que sua direção e as principais lideranças do partido impõem à ex-prefeita e deputada federal Luizianne Lins no processo interno de escolha do nome do partido para a disputa eleitoral em Fortaleza”, diz.

Atualmente, cinco petistas se colocaram à disposição para enfrentar o pedetista José Sarto no pleito. A maior rivalidade, contudo, ocorre entre Luizianne e o presidente da Assembleia, Evandro Leitão, que pertencia ao PDT até dezembro e é forte aliado do senador Cid Gomes (PSB).

Ao sinalizar apoio a Luizianne, o partido de Ciro alfineta também os cidistas que romperam internamente no ano passado e provocaram uma debandada.

Com informações de O Globo.  

Fonte: https://agendadopoder.com.br/bancada-feminina-do-senado-propora-voto-de-repudio-a-ciro-gomes-por-fala-machista-preconceituosa-e-violenta-contra-senadora/