17 de julho de 2024
Compartilhe:

Foto: Reprodução

Foi concedida a autorização para a realização de transplante de córnea ao Instituto Alberto Madeira de Oftalmologia – Allume de Imperatriz. A habilitação para o procedimento foi feita através do Sistema Nacional de Transplantes (SNT) e agora o hospital passa a fazer esse tipo de procedimento cirúrgico.

O Hospital Allume se torna o primeiro de Imperatriz a conseguir a autorização para realizar o transplante de tecido ocular humano. O instituto de oftalmologia fica localizado na rua João Lisboa, no Centro de Imperatriz. O hospital tem como responsável técnico a Dra. Andressa Miranda Magalhães e conta com os doutores oftalmologistas: Natália Torres Giacomin Pitman e Jusenir Giacomin Junior.

A autorização foi destinada à equipe especializada da Dra. Andressa Miranda Magalhães do e a portaria foi publicada no Diário Oficial da União no dia 22 de março de 2024, pela Secretaria de Atenção Especializada à Saúde (SAES) do Ministério da Saúde. A autorização concedida pela portaria de n°1.554 tem validade de 4 anos em conformidade com o que foi estabelecido nos parágrafos do documento.

O Hospital Allume de Oftalmologia é considerado uma das maiorias clínicas oftalmológicas do Maranhão e do país, sendo referência na área. O hospital conta com um corpo clínico especializado com consultas, exames, cirurgias e mais de dez especialidades.

O que é o transplante de córnea?

O transplante de córnea, também conhecido como transplante de córnea ou ceratoplastia, é um procedimento cirúrgico no qual uma parte ou a totalidade da córnea danificada de um paciente é substituída por tecido corneano saudável de um doador falecido. A córnea é a camada transparente e protetora localizada na parte anterior do olho, e é essencial para uma visão clara.

Existem várias razões pelas quais alguém pode precisar de um transplante de córnea, incluindo:

Ceratocone: uma condição na qual a córnea fica fina e com um formato diferente, resultando em visão embaçada.

Lesões:  danos causados por acidentes ou ferimentos que afetam a córnea.

Infecções graves: algumas infecções oculares podem danificar irreversivelmente a córnea.

Distrofias corneanas: doenças hereditárias que afetam a saúde da córnea, como distrofia de Fuchs.

O processo de transplante de córnea envolve a remoção da córnea danificada e a substituição por uma córnea saudável do doador. O tecido do doador é obtido de um banco de olhos, onde é cuidadosamente examinado para garantir sua segurança e qualidade.

Após o transplante, o paciente é monitorado de perto durante o período de recuperação, e são prescritos medicamentos para prevenir a rejeição do tecido transplantado.Muitas pessoas experimentam uma melhora significativa na visão e na qualidade de vida após um transplante de córnea bem-sucedido.

Fonte: https://maismaranhao.com.br/educacao/hospital-de-imperatriz-recebe-autorizacao-para-fazer-transplante-de-cornea/2024/03/28/