18 de julho de 2024
Compartilhe:

O deputado federal Otoni de Paula (MDB-RJ) usou a tribuna da Câmara dos Deputados, na noite de terça-feira (9), para defender o ex-presidente Jair Bolsonaro, que foi indiciado pela Polícia Federal pelos crimes de associação criminosa, lavagem de dinheiro e apropriação de bens públicos (peculato) por suposta participação em esquema de venda ilegal de joias e artigos de luxo que foram presentes da Arábia Saudita ao governo brasileiro.

“Não houve desvio de joias porque não há legislação brasileira sobre esse assunto”, afirmou o parlamentar.

 “Até hoje o Congresso Nacional, que cabe formular as leis brasileiras, não formulou nenhuma legislação sobre esse tema. Por isso, Lula e Dilma levaram seus acervos pessoais e não puderam ser incriminados. Portanto, não podemos nem pegar o caso de Lula e dizer que ele deveria ter sido condenado, pois não deveria mesmo. O que nós devemos denunciar é: Por que o mesmo tratamento que foi dado ao presidente Lula não está sendo dado ao presidente Bolsonaro” questionou Otoni de Paula.

Otoni de Paula afirmou que Bolsonaro é vítima de uma perseguição, e que a defesa do ex-presidente não teve acesso aos autos do inquérito. “O que está acontecendo com a nossa Polícia Federal? Ela está sendo desmoralizada porque virou uma milícia particular de alguns ministros da Suprema Corte”, disparou Otoni.

Bolsonaro foi indiciado pela Polícia Federal, na quinta-feira (4). O relatório da Polícia Federal foi enviado ao Supremo Tribunal Federal (STF), que encaminhou para análise da Procuradoria-Geral da República.

Fonte: https://agendadopoder.com.br/e-vergonhoso-diz-otoni-de-paula-sobre-indiciamento-de-bolsonaro-pela-pf-no-caso-das-joias/