18 de julho de 2024
Compartilhe:

O senador Sergio Moro (União-PR) expressou sua satisfação com a absolvição em um julgamento realizado pelo Tribunal Regional Eleitoral do Paraná (TRE-PR) nesta terça-feira. O ex-juiz foi alvo de uma denúncia de abuso de poder econômico durante as eleições de 2022, da qual foi inocentado. Para ele, essa decisão representa um marco na independência do judiciário frente às pressões políticas.

Moro afirmou que sempre teve a consciência tranquila em relação à sua campanha eleitoral, respeitando estritamente as regras estabelecidas. Ele ressaltou que o TRE preservou a soberania popular ao honrar os votos dos eleitores paranaenses.

Entretanto, Moro também apontou que as ações que buscam sua cassação são uma forma de retaliação pelo seu trabalho como juiz responsável pelos casos da Operação Lava Jato. Ele criticou a tentativa de aplicar regras novas retroativamente para cassar mandatos de forma arbitrária.

Embora reconheça que o assunto ainda não está concluído, já que a decisão do TRE-PR pode ser objeto de recurso e analisada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Moro espera que a solidez do julgamento sirva como um freio à perseguição que ele e sua família têm enfrentado desde o início de seu mandato.

Durante o julgamento, Moro manteve suas atividades no Senado normalmente e, ao ser questionado sobre o processo, optou por aguardar o desfecho para se pronunciar.

Após a formação da maioria pela absolvição de Moro, sua esposa, Rosangela Moro (União-SP), rapidamente dirigiu-se ao gabinete do senador no Senado, onde foi parabenizada pelo senador Hiran (PP-RR). No plenário da Casa, outros senadores também comentaram sobre o assunto, como Márcio Bittar (União-AC) e Flávio Arns (PSB-PR), este último elogiando a decisão do TRE-PR como um respeito ao eleitor paranaense.

O PT e o PL acusaram Moro de prática de caixa 2, abuso de poder econômico e uso indevido dos meios de comunicação social. Alegaram que sua exposição na pré-campanha para a Presidência da República lhe conferiu uma vantagem indevida na disputa pelo Senado Federal.

Por fim, Moro conclamou à pacificação institucional e o respeito ao Congresso Nacional, enfatizando que não há inimigos em uma democracia, apenas adversários.

— No Senado tenho contado com o apoio dos meus pares. O julgamento de hoje é também um alento a eles, pois representa a afirmação de que a oposição política tem o direito de existir. Espero que os meus pares sejam também bem-sucedidos nas respectivas provações. Não será possível avançar se abdicarmos de nossas liberdades e da democracia. É tempo de pacificação institucional e de respeito ao Congresso Nacional. Não há inimigos em uma democracia, mas apenas adversários.

Com informações de O Globo.

Fonte: https://agendadopoder.com.br/moro-comemora-manutencao-do-mandato-e-afirma-que-decisao-representa-marco-da-independencia-do-poder-judiciario/