14 de julho de 2024
Compartilhe:

A trader de commodities Trafigura alertou para um possível aumento na demanda por cobre impulsionado pela inteligência artificial (IA) e data centers, estimando que poderia adicionar até um milhão de toneladas métricas à demanda global até 2030. Essa afirmação, feita por Saad Rahim, economista-chefe da Trafigura, na Cúpula Global de Commodities do Financial Times em Lausanne, destaca o ritmo acelerado do avanço tecnológico e suas implicações para o consumo de recursos industriais.

Segundo a Reuters, Rahim enfatizou o crescimento explosivo na demanda originada de data centers e aplicações relacionadas à IA. Ele observou que essa demanda adicional exacerbaria os déficits de oferta existentes, agravando os desafios enfrentados pelo mercado de cobre no final da década.

Leia mais:

  • Palmilha com inteligência artificial: o que é e para que serve?
  • O que é a Sora, a inteligência artificial da OpenAI que cria vídeos?
  • Marco Legal da Inteligência Artificial: entenda os 5 principais pontos

Transição energética e demanda por cobre

  • O aumento na demanda por cobre está intrinsecamente ligado à transição energética mais ampla, que abrange a adoção de veículos elétricos e tecnologias de energia renovável.
  • À medida que as nações em todo o mundo intensificam os esforços para reduzir as emissões de carbono, espera-se que a demanda por cobre aumente significativamente nos próximos anos.
  • No entanto, Rahim não forneceu projeções específicas para a demanda global de cobre até 2030.
  • Atualmente, a demanda global por cobre está em aproximadamente 26 milhões de toneladas anuais.
  • De acordo com uma pesquisa da Reuters realizada em janeiro, as expectativas sugerem que o déficit no mercado de cobre poderia ultrapassar 100.000 toneladas até 2025, em comparação com déficits de 35.000 toneladas no ano atual.
Trabalhador em mina de cobre. (Imagem: Parilov / Shutterstock.com)

Controle da China

A China, sendo tanto o maior produtor quanto o maior consumidor de cobre globalmente, exerce uma influência significativa sobre a dinâmica do mercado de cobre. Essa dominação se estende a outros metais industriais cruciais para a transição energética, levantando preocupações entre os líderes ocidentais que buscam atingir metas de emissões líquidas zero.

Beata Javorcik, economista-chefe do Banco Europeu para a Reconstrução e Desenvolvimento, expressou apreensão em relação às implicações geopolíticas do controle da China sobre a produção de matéria-prima crítica. Ela destacou terras raras e grafite como exemplos de materiais essenciais para baterias de veículos elétricos, nos quais a China detém uma posição dominante na produção.

Javorcik alertou que as tensões geopolíticas poderiam potencialmente prejudicar o progresso na transição verde, principalmente devido ao controle da China sobre recursos-chave. Isso ressalta a necessidade de diversificação das cadeias de suprimentos e investimentos estratégicos na produção de matéria-prima crítica para garantir uma transição mais suave para sistemas de energia sustentáveis.

O post IA deve ter impacto gigantesco na demanda por cobre, diz Trafigura apareceu primeiro em Olhar Digital.

Fonte: https://olhardigital.com.br/2024/04/08/pro/ia-deve-ter-impacto-gigantesco-na-demanda-por-cobre-diz-trafigura/